A região da London Bridge

Muitas pontes, sempre conhecidas por London Bridge,  se sucederam no local em que os romanos estabeleceram a primeira ligação entre as duas margens do Tâmisa. A London Bridge, que não deve ser confundida com a ponte icônica da cidade, a Tower Bridge, liga a região conhecida como Southwark, na margem sul, à City of London, localizada na margem norte do rio. Até 1729 era a única conexão entre as duas margens do rio.

A região da London Bridge - London Bridge

O nome London Bridge se estende à região do entorno da ponte e é desta região, e não da ponte propriamente, que se trata este post. É uma região de contrastes e cheia de histórias, de delícias e também de marcos arquitetônicos, já que aí se encontram o polêmico prédio da prefeitura de Londres e o edifício mais alto de Londres (e da Europa Ocidental), The Shard.

 

A região da London Bridge - Borough Market

Para os amantes de boa comida, o Borough Market, mercado de alimentos mais antigo do Reino Unido, é imperdível. Além das barracas e lojas do mercado, não deixe de conhecer as lojas, cafés e restaurantes que se estabeleceram nas cercanias e incluem o Manmouth Coffee (que muitos acreditam servir o melhor café de Londres), o espanhol Brindisa, o tradicional restaurante Roast, a divina loja de queijos Neal’s Yard Dairy, além do templo do vinho em Londres, Vinopolis.

A região da London Bridge - Vinopolis

Bem próximo ao Borough Market, encontramos a catedral em estilo gótico mais antiga de Londres, a linda Southwark Cathedral, com mais de 1400 anos de história que certamente merece uma visitinha. O pátio externo da igreja é um local convidativo para uma parada e, principalmente na hora do almoço, sempre reúne muita gente em seus bancos e jardins.

A região da London Bridge - cathedral

A área de London Bridge abriga dois hospitais de Londres, o Guy’s Hospital e o London Bridge Hospital, além da escola de medicina e odontologia do King’s College.  Nesta região hospitalar está um dos museus mais estranhos e diferentes da cidade, o Old Operating Theathre Museum and Herb Garret,  uma sala de cirurgia construída em 1822 no sótão de uma igreja, onde os cirurgiões operavam sem o uso de anestesia, que só passou a ser usada regularmente muitos anos depois.

A região da London Bridge - clink prison museum

Falando de esquisitices, uma outra atração “diferente” é o Clink Prison Museum. O museu foi construído no local original de uma das prisões mais antigas da Inglaterra (1144 – 1780),  e exibe artefatos originais, incluindo os usados para tortura. São contadas as histórias de alguns presos ilustres e também da área, que abrigava na idade média diversos teatros, bares, pensões e locais de diversão.

A região da London Bridge - city hall

Para um passeio mais descontraído, há várias opções na margem do Tâmisa. Próximo da Tower Bridge, temos uma das poucas áreas verdes próximo ao rio, o Potters Fields Park. Logo em seguida, caminhando em direção à London Bridge (a ponte) encontramos o prédio da prefeitura de Londres e uma espécie de anfiteatro, the Scoop, onde acontecem apresentações, exibições de filmes e outros eventos especiais.  É também um bom local para tirar fotos lindas da Tower Bridge.

A região da London Bridge - HMS Belfast

Continuando o passeio, chegamos ao local onde está a entrada para o navio HMS Belfast, ancorado permanentemente neste trecho do rio chamado Pool of London. O navio, que participou do dia-D na II Guerra Mundial, é aberto para visitação como parte do Museu Imperial da Guerra é reproduz a vida a bordo quando fazia parte da marinha britânica.

A região da London Bridge - George Inn

Um dos lugares mais bonitos da London Bridge é a Hay’s Galleria, um prédio das antigas docas que foi revitalizado e hoje reúne uma série de pubs, bares e restaurantes. London Bridge, por ser uma das regiões mais antigas de Londres, conta também com alguns pubs históricos, entre eles o The George Inn, que já apareceu aqui no site e que é um dos pubs incluídos no nosso Pub Crawl, passeio guiado por pubs históricos.

 

Viagem a Liverpool

Para quem é fã dos Beatles, Liverpool dispensa apresentação: foi lá que tudo começou e ponto. Isso já é motivo mais do que suficiente para uma ida – ou seria peregrinação? – a esta cidade do noroeste da Inglaterra. Para quem não se importa tanto assim com os Fab4, no entanto, Liverpool pode não ser uma escolha óbvia, já que não tem o charme das pequenas vilas do interior, nem a beleza e a tradição das grandes cidades e capitais.

Viagem a Liverpool - Beatles

Nós, sinceramente, fomos pensando por um lado em visitar os locais relacionados aos Beatles e, por outro, visitar o estádio de Anfield Road, sede do Liverpool F.C., time do coração do Steve. Mas já quando estávamos planejando quantos dias ficar e o que fazer na cidade, comecei a me surpreender com o potencial da cidade e vi que um simples bate-volta a partir de Londres não seria suficiente para tudo que queríamos visitar. Sendo assim, optamos por passar duas noites na cidade e não nos arrependemos!

Viagem a Liverpool - Anfield Road

Descobrimos que Liverpool é uma cidade moderna, cosmopolita, limpa e organizada, com excelentes museus, duas catedrais muito interessantes, restaurantes para todos os gostos, um centro da cidade revitalizado, que inclui o shopping center a céu aberto Liverpool One,  a margem do rio Mersey com a antiga zona portuária, hoje transformada no lindo Albert Dock e uma vida noturna animada, que inclui o famoso Cavern Club. 

Viagem a Liverpool - Cavern Club

Outra boa surpresa que tivemos foram os preços – de hospedagem, alimentação, transporte, bebidas, enfim de quase tudo… Para quem está acostumado com os preços exorbitantes de Londres, Liverpool é quase uma pechincha! Quando pagamos 4 libras de táxi para nos levar da estação de trem ao hotel, fiquei quase com pena do motorista. Em Londres tínhamos pago 13 libras para chegarmos à estação e a distância não me pareceu assim tão diferente.

Viagem a Liverpool - Riverfront

Agora tenho que confessar que nem tudo são flores em Liverpool. Se você acha que sabe bem inglês e que entende tudo do inglês britânico, você terá de repensar sua capacidade. Assim como em Londres temos o Cockney (que caracteriza o londrino “da gema”), em Liverpool temos os Scousers. O falar destes verdadeiros cidadãos de Liverpool, a chamada pronúncia Scouse, é muito característico e como é difícil de entender! Mas, para nossa sorte, a cidade também recebe gente de todos os lados do Reino Unido e de outros países, então, no final das contas, todo mundo se entende.

Viagem a Liverpool - livros

Faremos uma pequena série de posts sobre o que fizemos em Liverpool nos três dias que por lá passeamos. O objetivo é apresentar a cidade que muitos brasileiros desejam conhecer devido aos Beatles, mas que tem muito mais a oferecer. Neste primeiro post, reunimos as informações sobre como ir de Londres a Liverpool.

Como ir de Londres a Liverpool

A Virgin Trains faz o percurso em um trem rápido e confortável ligando a estação Euston, bem no centro de Londres, à estação Liverpool Lime Street, também no centro de Liverpool. A viagem direta (sem baldeação) leva 2 horas e 15 minutos. Em 2014, de segunda a sábado, há um trem no sentido Londres-Liverpool às 5h26 da manhã e depois um por hora entre 07h07 e 21h07, além de trens às 16h33, 17h33 e 18h33. Já no sentido Liverpool-Londres, há um trem às 5h27, 06h05, 07h00, e depois um por hora entre 7h47 e 20h48. Veja a tabela de horários completa aqui.

 

Viagem a Liverpool - trem Virgin

O preço da passagem varia e sempre é mais barato se comprado com antecedência. Há três tipos de passagem:

Advance” – passagem não reembolsável, válida somente para a viagem (data e horário) para a qual foi adquirida. Preço a partir de  £12,50 (por trecho), deve ser comprada com antecedência mínima de um dia, sujeita à disponibilidade. Para conseguir este preço de £12,50 para os trens que saem de Londres de manhã cedo é preciso comprar com muita antecedência.

Off-peak” – passagem mais flexível, válida para qualquer horário desde que “fora de pico” (normalmente depois de 10h00). Preço a partir de £39,85 (por trecho).

Anytime” – passagem super-flexível, válida para qualquer horário. Preço  £150,50 (por trecho).

As passagens podem ser adquiridas online, no site da própria Virgin Trains, sem qualquer taxa extra. Você recebe a passagem definitiva por e-mail e deve imprimi-la antes de chegar na estação. Com esta passagem em mãos, é só embarcar.

A National Express faz o percurso de ônibus (coach) a partir da estação de Victoria e é uma opção mais barata que o trem (a partir de  £10,00 por trecho), mas bem mais demorada. A viagem direta leva em torno de 5 horas.

Viagem a Liverpool - passagem

E você que já foi a Liverpool, queremos saber suas dicas! A caixa de comentários está aberta.

Nossa viagem teve o apoio do órgão de turismo Visit Liverpool, que nos convidou para conhecer diversas atrações da cidade, como membros da imprensa. As passagens, a hospedagem, o transporte e todas as outras despesas foram pagas por nós.