Londres em 3D

O Google hoje apareceu com mais uma novidade: os prédios, praças e parques de Londres agora podem ser vistos em 3D tanto no Google Maps quanto no Google Earth. É só você entrar no modo de “Inclinar a visualização”, dar um zoom e, voilà, aparece a cidade como em uma foto.

Londres em 3D - panorama

Quando você pega a manha de como funciona é viciante! Dá para passar horas voando por sobre a cidade, apreciando os edifícios de todos os ângulos.

Além disso, no ano passado foi introduzido um outro recurso: da mesma forma que você pode ter uma “street view” de qualquer lugar, é possível ver a cidade a partir do Rio Tâmisa. É só colocar aquele bonequinho amarelo no meio do rio para você apreciar o entorno, como se estivesse em um barco:

Londres em 3D - big ben

Com estes recursos, o Google facilita ainda mais o planejamento de uma viagem. Fica fácil, por exemplo, “conhecer” o entorno do hotel antes mesmo de viajar, planejar rotas, calcular distâncias, etc.

E para matar as saudades de Londres, também funciona que é uma beleza! Já disse que vicia?

Leia também:

Como usar o Google Maps em viagens

 

Dicas para mulheres viajando sozinhas

Muita gente chega ao Londres para Principiantes buscando alguma informação específica no Google tipo como ir do aeroporto ao centro, qual a melhor área para se hospedar, o que fazer com crianças, etc.. Com isso, a gente tem uma ideia aproximada das dúvidas dos leitores e, se não houver um post a respeito de alguma pergunta que aparece, buscamos escrever assim que possível (caso a gente saiba a resposta!).

No início da semana, apareceu entre os termos buscados um que me chamou atenção, porque acho que nunca escrevi a respeito: “o que fazer sozinha em Londres”.  Tenho notado também que nosso Pub Crawl, passeio guiado em pubs históricos, tem feito muito sucesso entre mulheres que estão sozinhas na cidade, pois é uma oportunidade de fazer um programa noturno sem o constrangimento que muitas vezes sentimos em ir a um bar desacompanhada.

Como eu já viajei sozinha e já morei em outros países também sozinha, sei “a dor e a delícia” de uma aventura deste tipo. Posso afirmar com certeza que nunca deixaria de viajar por falta de companhia e, apesar dos perrengues que já passei (mais por falta de planejamento do que por estar sozinha), minhas viagens solo sempre foram memoráveis e as repetiria sem pestanejar. Para incentivar quem está se aventurando pela primeira vez e está com aquele friozinho na barriga, escrevo este post com algumas dicas, que espero irão contribuir para o sucesso da sua viagem.

Dicas para mulheres viajando sozinhas

Planejamento é essencial - comece por escolher um hotel que fique na área central, perto de uma estação de metrô, ou com transporte fácil na porta. Assim, você se sentirá mais segura para voltar à noite sozinha. É bom também que o hotel fique em uma área com pelo menos algum restaurante, café, etc. para os dias em que você só quer comer algo rápido antes de dormir. Hoje em dia é muito fácil obter informações sobre a localização e o entorno de qualquer hotel. Para isso, leia as resenhas de quem já se hospedou (aqui no site tem várias) e aproveite aquela “vista da rua” do Google Maps para já ir se sentindo em casa.

Tente chegar na cidade com o dia ainda claro para fazer um reconhecimento da área do seu hotel e se familiarizar com o transporte (estação de metrô, ponto de ônibus, etc.).

Faça uma lista do que quer conhecer na cidade e pense em roteiros diários distribuindo as atrações e passeios durante o período da sua estadia. É claro que você deve estar aberta para modificações no seu roteiro, se pintar um programa mais interessante, não se sinta presa a seu itinerário inicial. Viajar é fazer descobertas!

Mala pesada é um estorvo - uma mala média de rodinhas é o máximo que você precisa carregar. Mala pesada é um estorvo, pois não existe ninguém para carregar sua bagagem nas escadas das estações de metrô, nos trens, na grande maioria dos hotéis. Além disso, se você pretende viajar na Europa com as companhias aéreas low cost, saiba que todas cobram extra por volume e/ou peso.

Sabemos que a tentação de viajar com o guarda-roupa inteiro é muito grande, mas acredite, é uma péssima ideia. Leve roupas em tons neutros que combinem entre si, fáceis de lavar e de preferência que não precisam de passar. Planeje  de forma que você possa, com algumas peças básicas e muitos acessórios, variar bastante os looks. Tente levar apenas três pares de sapatos e não mais que dois casacos (se for inverno). Londres é uma metrópole e você poderá comprar o que precisar, caso precise de alguma coisa, até mais barato que no Brasil.

Depois da mala fechada, passeie com ela pela sua casa, suba umas escadas, tente levantá-la para colocar em cima da cama, por exemplo. Se não conseguir, retire alguns itens até que esteja com um peso que você dê conta de carregar. Se de todo você não conseguir viajar leve, faça um favor a si mesma e contrate um transfer para te buscar no aeroporto. Ninguém merece chegar a uma cidade estranha depois de uma noite mal dormida e ter de lidar com malas pesadas no transporte público.

Dicas para mulheres viajando sozinhas - the Shard

Programas noturnos - o que eu acho mais chato em viajar sozinha é não ter companhia para jantar em um restaurante, ou para sair para a noite. Além disso, em Londres a grande maioria das atrações em Londres fecha cedo, no mais tardar às 18 horas. O que fazer depois disso? Claro que esta cidade incrível oferece várias opções! Por exemplo, pouca gente sabe que pelo menos uma vez por semana, os museus e galerias permanecem abertos até mais tarde, muitas vezes com programação especial. Veja os horários aqui.

Outra opção que para mim funciona é ir assistir a um musical ou peça de sucesso, a um concerto, ou balé. E poucos locais do mundo oferecem tantas opções quanto Londres. Os teatros do West End, o Royal Albert Hall, a Royal Opera House, o South Bank Centre, certamente você encontrará algo do seu agrado. Como normalmente as sessões começam cedo (entre 19 e 20 horas), você não terá problema de segurança para voltar para o hotel no final do espetáculo. Consulte a programação aqui.

Aproveite o almoço – os restaurantes na hora do almoço em geral são mais descontraídos e você vê muito mais gente sozinha do que à noite. Além disso, o almoço é sempre mais barato, mesmo nos restaurantes mais chics, pois é comum oferecerem menus executivos com preços bem mais em conta do que os do jantar. Assim, a dica é fazer uma boa refeição durante o dia e deixar a noite para um lanche, antes de ir para o hotel, como fazemos no Brasil.

Faça um tour guiado – mesmo quem não gosta de “excursão” pode se divertir, aprender muito e ainda conhecer outras pessoas em um passeio guiado. São milhões de opções, de passeios à pé que não levam mais de duas horas a excursões de um dia para algum lugar próximo a Londres. Para quem não tem dificuldade com o inglês, há passeios guiados para todos os gostos, de arquitetura a gastronomia, de street art a locações de filmes, de Jack the Ripper a Beatles. Para quem quer interagir com brasileiros, nós oferecemos algumas opções de passeios em grupo, veja aqui.

Segurança – já falamos aqui que em geral o centro de Londres é bem seguro, mas isso não quer dizer que você não deve ficar atenta e tomar as precauções que tomaria em qualquer grande cidades (não é preciso no entanto ter a neura que temos nas grandes cidades brasileiras). Tenha sempre sua bolsa, celular, computador, etc. sob seu olhar, não ande com a bolsa/mochila aberta, não ostente, não ande em lugar deserto e escuro sozinha, esse tipo de coisa. Outro ponto importante em Londres é que você não deve pegar táxi na rua, a não ser que sejam aqueles táxis tradicionais (esses são hiper seguros). Os chamados minicabs só devem ser contratados por telefone, jamais quando alguém te aborda na rua.

Dicas para mulheres viajando sozinhas - moleskine

Registre sua viagem - tem gente que acha que viajar sozinha é ruim porque não temos com quem compartilhar as impressões da viagem. Mas hoje em dia, neste mundo tão conectado por redes sociais, é muito fácil dividir com os amigos e familiares nossas aventuras. Para isso, basta levar um smartphone ou tablet e adquirir um SIM card assim que chegar a Londres. Dá até para fazer um blog!

Você pode optar também pela via antiga e comprar um desses lindos caderninhos para fazer um diário da sua viagem. Aproveite as noites para escrever sobre seu dia, relatando o que fez, o que mais te chamou a atenção, o que não foi tão bacana. É muito bom ter um registro da sua viagem, para depois de uns anos poder se lembrar do nome daquele restaurante próximo ao British Museum em que você comeu algo delicioso, ou onde você viu aquele quadro que te marcou tanto. Se ficar só no Facebook, rapidinho se apaga.

E você que já esteve em Londres sozinha, deixe suas dicas na caixa de comentários!